quinta-feira, 23 de outubro de 2014

NESTA SEXTA-FEIRA, ACOMPANHE PELA NATIVA FM A BIOGRAFIA DE JÚLIO PRATES DE CASTILHOS, FALECIDO EM 24 DE OUTUBRO DE 1903!!!


        NESTA SEXTA-FEIRA, ACOMPANHE PELA NATIVA FM A BIOGRAFIA DE JÚLIO PRATES DE CASTILHOS, FALECIDO EM 24 DE OUTUBRO DE 1903!!!


***************************************************************************************************************************************************************************************************************************************


"CANTA A TUA ALDEIA E SERÁS UNIVERSAL."
(Léon Tolstoi, escritor russo, 1828-1910)



*****************


    OUÇA O PROGRAMA “CANTO DOS LIVRES”, de segunda-feira à sexta-feira, das 05h às 07h enquanto perdurar a propaganda política gratuita pelo rádio até a eleição de 2º turno.

Sintonize no seu rádio a NATIVA FM – FM 93.9.Na internet: www.nativafmpiratini.com.
Participe da página da RÁDIO no Facebook:

https://www.facebook.com/nativafmpiratini?fref=ts


PRODUÇÃO E APRESENTAÇÃO AO VIVO DE JUAREZ MACHADO DE FARIAS.


     Nesta SEXTA-FEIRA, 24 de OUTUBRO de 2014, além de música, poesia, roncos de mate e vozes de aves nativas, teremos as seguintes atrações:

1) homenagem ao município de INDEPENDÊNCIA, criado em 23 de outubro de 1965;

2) alusão à data de 24/10/1903 quando ocorreu o           falecimento     de JÚLIO PRATES DE CASTILHOS - político, Governador do Rio Grande do Sul, por meio de leitura de sua biografia publicada em “DICIONÁRIO POLÍTICO DO RIO GRANDE DO SUL – 1821-1937” de SÉRGIO DA COSTA FRANCO (Porto Alegre: Suliani Letra & Vida, 2010, p. 57 a 59);

3)homenagem à memória do radialista GLÊNIO REIS, nascido em 24 de outubro de 1927, e falecido em 15/08/2014, por meio de leitura de sua biografia publicada em “SOM DO SUL – A História da Música do Rio Grande do Sul no Século XX” de HENRIQUE MANN (Porto Alegre: Tchê!, 2002, p. 206);

4)o causo “SÓ FALO A VERDADE”  de ELTON BARBOSA, extraído da obra do próprio autor, “NA HORA DO MATE – Contos Gauchescos” (Pelotas: Edição do Autor, 2008, p. 106 a 107);

5) trecho do poemeto campestre “ANTONIO CHIMANGO – Sátira Política” de AMARO JUVENAL (pseudônimo de RAMIRO BARCELOS (Porto Alegre: Martins Livreiro-Editor, 1998, 25ª edição, p. 61, estrofe nº 169 e seguintes).

*********************************************************************************************************************************************************
*A FOTOGRAFIA QUE ILUSTRA ESTA POSTAGEM REGISTRA O RETRATO DE JÚLIO DE CASTILHOS (Imagem disponível em http://copacabana.com/rua-julio-de-castilhos/, acesso em 19 de outubro de 2014).

*********************************************************************************************************************************************************

Eis um trecho do poema em destaque:

“ANTONIO CHIMANGO
(Autor: AMARO JUVENAL)

(...)
169
Um dia... ansim, de repente,
Esta notícia correu:
- O Coronel Prates morreu!
A muitos custava crer;
Como havia de morrer,
Se ele nunca adoeceu?

170
Foi um choque em toda parte,
Ninguém por tal esperava:
O coronel se finava,
Sem que o soubessem doente;
E ansim foi que muita gente
Ao princípio duvidava.

171
Infelizmente era certo,
Foi um desgosto geral;
Ninguém sabia do mal
De que o Coronel sofria,
E que ele talvez encobria
Por saber que era fatal.

172
Toda a Estância de São Pedro
Ficou como atordoada.
Se há morte que foi chorada
Devia ser como aquela;
Quando a gente pensa nela,
Parece um sonho e mais nada.

173
O coronel tinha feito
Em vida o seu testamento;
E foi o seu pensamento
Deixar tudo repartido
Aos que le tinham servido
Com grande devotamento.

174
Pra não dividir-se a Estância
Ao tempo em que falecesse
Que a peonada escolhesse
Dentre si o mais sisudo,
Que este administrasse tudo
E que o resto obedecesse.


175
Naqueles dias tão tristes
A Estância marchava a esmo,
Ninguém cuidava em si mesmo,
Era tudo pranto e luto;
Mas o Chimango era astuto
E foi juntando o torresmo.

176
Como capataz que era
Tinha a sua camarilha.
Que  escorava de forquilha
Seus projetos de ambição;
A quem tem poder na mão
Nunca lhe falta a matilha.

177
E o acaso aproveitando,
Naquela situação bruta
De andar longe em recruta
A peonada mais guapa.
Tomou tudo e até a inhapa
Sem ter trabalho nem luta.”

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

NESTA QUINTA-FEIRA, ACOMPANHE PELA NATIVA FM A HISTÓRIA DA ERVA-MATE!!!



NESTA QUINTA-FEIRA, ACOMPANHE PELA NATIVA FM A HISTÓRIA DA ERVA-MATE!!!



***************************************************************************************************************************************************************************************************************************************



"CANTA A TUA ALDEIA E SERÁS UNIVERSAL."

(Léon Tolstoi, escritor russo, 1828-1910)



*****************



OUÇA O PROGRAMA “CANTO DOS LIVRES”, de segunda-feira à sexta-feira, das 05h às 07h enquanto perdurar a propaganda política gratuita pelo rádio até a eleição de 2º turno.



Sintonize no seu rádio a NATIVA FM – FM 93.9.

Na internet: www.nativafmpiratini.com.



Participe da página da RÁDIO no Facebook:



https://www.facebook.com/nativafmpiratini?fref=ts



PRODUÇÃO E APRESENTAÇÃO AO VIVO DE JUAREZ MACHADO DE FARIAS.



Nesta QUINTA-FEIRA, 23 de OUTUBRO de 2014, além de música, poesia, roncos de mate e vozes de aves nativas, teremos as seguintes atrações:



1) homenagem ao município de VICTOR GRAEFF, criado em 23 de outubro de 1965;



2) a lenda da erva-mate extraída da obra “LENDAS GAÚCHAS Volume 2", com pesquisa e textos de Emiliano Urbim (Porto Alegre: Zero Hora Editora Jornalística S.A.,2000, p. 24 a 26);



3) o texto “ERVA-MATE” de SALVADOR FERRANDO LAMBERTY, extraído da obra do próprio autor, “ABC DO TRADICIONALISMO GAÚCHO” (Porto Alegre: Martins Livreiro-Editor, 1989, 2ª edição, p. 60 a 62);



4) o causo “O CORONEL MACIEL, DE SANTO ANTÔNIO DA PATRULHA”  de ANTONIO AUGUSTO FAGUNDES, extraído da obra do próprio autor, “OS MELHORES CAUSOS DE GALPÃO” (Porto Alegre: Martins Livreiro-Editor, 2001, 3ª edição, p. 90 a 91);



5) o poema “UM CANTO PARA MATEAR SOLITO" de MOISÉS SILVEIRA DE MENEZES, extraído da obra do próprio autor, "Imagens do Sul" (edição independente, 2000).

 
*A IMAGEM QUE ILUSTRA ESTA POSTAGEM REGISTRA O POETA E TRADICIONALISTA GLAUCUS SARAIVA (DE PÉ) A DECLAMAR O POEMA DE SUA AUTORIA – “CHIMARRÃO” - DURANTE O PROGRAMA TELEVISIVO “GALPÃO CRIOULO” (RBS TV) APRESENTADO POR ANTONIO AUGUSTO FAGUNDES (Imagem disponível em http://i1.ytimg.com/vi/y5lbwRMWkfA/hqdefault.jpg, acesso em 18 de outubro de 2014).

*********************************************************************************************************************************************************



Eis o poema:





      “Um Canto Para Matear Solito

Autoria: Moisés Silveira de Menezes

Quando o sol vai despacito
me quedo mateando quieto
no velho ritual campeiro
que faz ausentes de afeto
buscar refúgio no amargo,
vida verde, vida em pó
rico ancestral lenitivo
parceiro dos que andam só.

A lua vem debruçar-se
no portal da solidão
em tênues raios de prata
clareando o velho galpão,
fresteando as paredes velhas
chegam as vozes da noite
que a meus ouvidos cansados
trazem sibilos de açoite.

A cuia passeia inquieta
como se ave noturna
que risca olhos punhais
na ampla noite soturna,
só o chispar das labaredas
aos grilos em contracanto
compõe mais uma milonga
pra um mundo de desencantos.

O mate desce queimando
na garganta ressequida
parece que nessa noite
nem Caá-Yari dá guarida
a quem cansou do caminho
e de partir sem chegar
fez da vida uma tapera
na velha sina de andar.

Uma saudade importuna
amarga mais esse mate
descompassa tanto o peito
que o coração pouco bate,
aquerenciou-se essa louca
sem ter convite pra vir
que até nem sei se é bom ter
saudade ou não pra sentir.

Uma inquietude interior
que faz a noite silente,
o sonho muito distante
como se estrela cadente,
me gusta um mate solito
nesse esperar não sei quê;
saber de andar o sentido
talvez, da vida o porquê.
"

terça-feira, 21 de outubro de 2014

NESTA QUARTA-FEIRA, PELA NATIVA FM, A HOMENAGEM DE ANIVERSÁRIO A MÁRIO BARBARÁ!!!



NESTA QUARTA-FEIRA, ACOMPANHE PELA NATIVA FM A HOMENAGEM AO ANIVERSARIANTE DE 22 DE OUTUBRO: O COMPOSITOR E MÚSICO MÁRIO BARBARÁ!!!



***************************************************************************************************************************************************************************************************************************************



"CANTA A TUA ALDEIA E SERÁS UNIVERSAL."

(Léon Tolstoi, escritor russo, 1828-1910)



*****************



OUÇA O PROGRAMA “CANTO DOS LIVRES”, de segunda-feira à sexta-feira, das 05h às 07h enquanto perdurar a propaganda política gratuita pelo rádio até a eleição de 2º turno.



Sintonize no seu rádio a NATIVA FM – FM 93.9.

Na internet: www.nativafmpiratini.com.



Participe da página da RÁDIO no Facebook:



https://www.facebook.com/nativafmpiratini?fref=ts



PRODUÇÃO E APRESENTAÇÃO AO VIVO DE JUAREZ MACHADO DE FARIAS.



Nesta QUARTA-FEIRA, 22 de OUTUBRO de 2014, além de música, poesia, roncos de mate e vozes de aves nativas, teremos as seguintes atrações:



1) homenagem ao município de CERRITO, cujo aniversário é 22 de outubro;



2) homenagem ao aniversariante de 22 de outubro, o COMPOSITOR E MÚSICO MÁRIO BARBARÁ, segundo biografia extraída da obra “SOM DO SUL- A História da Música do Rio Grande do Sul no Século XX” de HENRIQUE MANN (Porto Alegre: Tchê!, 2002, p. 117 a 120);



3) o causo “HOTEL DO GUEDES I”  de APPARICIO SILVA RILLO, extraído da obra do próprio autor, “RAPA DE TACHO – Causos Gauchescos” (Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2002, 3ª edição, p. 15 a 17);



4) o poema “ONDE O CANTOR EXPÕE AS RAZÕES DO SEU CANTO” de SÉRGIO NAPP, musicado por MÁRIO BARBARÁ, disponível em http://guascaletras.blogspot.com.br/2014/01/onde-o-cantor-expoe-as-razoes-do-seu.html, acesso em 18 de outubro de 2014.



*********************************************************************************************************************************************************

*A FOTOGRAFIA QUE ILUSTRA ESTA POSTAGEM É CREDITADA A EMÍLIO PEDROSO E REGISTRA  O ARTISTA MÁRIO BARBARÁ (disponível em http://wp.clicrbs.com.br/degalpao/2014/08/22/mario-barbara-retorna-aos-palcos-caxienses/, acesso em 18 de outubro de 2014).

*********************************************************************************************************************************************************



Eis o poema:





      “ONDE O CANTOR EXPÕE AS RAZÕES DO SEU CANTO



(SÉRGIO NAPP)





Por esse homem nos olhos de quem as estrelas fazem chão

E em cujas mãos há uma força tamanha que ninguém adivinha

Por este homem claro de céu, resto de verde, berro de boi

Pitangas colhidas na festa da vida, carícia de campos cobertos de trigo

Por este homem, pampa, milongas e rio é que faço meu canto



E sendo cantar meu ofício, e nada tendo além desta voz

Que se ouça meu canto, que se ouça meu canto

Cravo cravado em clara garganta, sangra sangrando campina e barranca

Ferra ferrando, inventa alegrias nas cordas do coração

Nas cordas do coração, nas cordas do coração.”