sábado, 24 de janeiro de 2015

NESTA SEXTA-FEIRA, PELA NATIVA FM, HOMENAGEM À MEMÓRIA DE JAYME CAETANO BRAUN!!!






 NESTA SEXTA-FEIRA, PELA NATIVA FM, HOMENAGEM À MEMÓRIA DE JAYME CAETANO BRAUN, NASCIDO EM 30 DE JANEIRO DE 1924!!
*********************************************************************************************************************************************************



"CANTA A TUA ALDEIA E SERÁS UNIVERSAL."


(Léon Tolstoi, escritor russo, 1828-1910)




                 *****************  OUÇA O PROGRAMA “CANTO DOS LIVRES”, de segunda-feira à sexta-feira, das 05h às 07h30min.






Sintonize no seu rádio a NATIVA FM – FM 93.9.
                 *********


Na internet: www.nativafmpiratini.com.


                 ********** Participe da página da RÁDIO no Facebook:
https://www.facebook.com/nativafm
                *************
Participe da página do PROGRAMA no Facebook:
 https://www.facebook.com/pages/CANTO-DOS-Livres/843824719015240

                                 *****
PRODUÇÃO E APRESENTAÇÃO AO VIVO DE JUAREZ MACHADO DE FARIAS.
                         ******************** 
                            



Nesta SEXTA-FEIRA, 30 de JANEIRO de 2015, além de música, poesia, roncos de mate e vozes de aves nativas, teremos as seguintes atrações:



1)    homenagem ao município de SEBERI,  criado em 30/01/1959, por força da Lei Estadual nº 3.696 de mesma data;


2) homenagem à memória do POETA E PAJADOR JAYME CAETANO BRAUN, nascido em 30 de janeiro de 1924, na localidade denominada "Timbaúva", 3º Distrito de São Luiz Gonzaga, RS;
3) alusão à data de 30 de janeiro, Dia do Pajador Gaúcho, segundo a Lei Estadual nº 11.676/01, assinada em 15/10/2001, de iniciativa do Deputado Estadual João Luiz Vargas;



4)   o poema "DISSE JAYME CAETANO" de PAULO DE FREITAS MENDONÇA, disponível em www.guapos.com.br, acesso em 24 de janeiro de 2015; 


5)    o causo nº 03 de APPARICIO SILVA RILLO, extraído da obra do próprio autor, "RAPA DE TACHO - Causos Gauchescos" (Porto Alegre: Artes e Ofícios, 2002, p. 215 a 217);
6) homenagem ao aniversariante do dia, o músico e compositor JARI TERRES, nascido em 30 de janeiro de 1965.
.

*******A IMAGEM (ACIMA) QUE ILUSTRA ESTA POSTAGEM ESTÁ DISPONÍVEL EM http://wp.clicrbs.com.br/milenafischer/2013/04/11/diretor-filma-poema-de-jayme-caetano-braun/, ACESSO EM 24 DE JANEIRO DE 2015, E REGISTRA O SAUDOSO POETA E PAJADOR JAYME CAETANO BRAUN.
**********A IMAGEM (ABAIXO) QUE ILUSTRA ESTA POSTAGEM ESTÁ DISPONÍVEL EM https://linhacampeira.wordpress.com/2010/12/, ACESSO EM 24 DE JANEIRO DE 2015, E REGISTRA O ANIVERSARIANTE DO DIA, O MÚSICO E COMPOSITOR JARI TERRES.
                      ************


    Eis o poema em destaque:


"DISSE JAYME CAETANO 

(Autor: Paulo de Freitas Mendonça)

          ****
Lembro Dom Jayme Caetano,
o pajador missioneiro,
como um pajé feiticeiro
do xucro verso pampeano.
Quando esteve neste plano,
disse ao Pago muito bem:
"Às vezes quem anda tem
é aquele que melhor vive,
quantas fortunas eu tive
sem nunca ter um vintém." 

  ************
Menestrel iluminado,
do nosso tempo, um Homero,
que teve um cantar sincero
do presente e do passado.
Disse que o Patrão sagrado
em sua sabedoria
"deu o canto e a melodia
para os pássaros e os ventos
pra que fossem complementos
do que chamamos poesia".

***********
Fez um relato preciso,
em sua crioula leitura,
que Deus fez criatura
que expulsou do paraíso.
Arrematou d'improviso
com este verso bonito:
"O homem nasce de um grito
e a morte é tão silenciosa
na passagem misteriosa
que apaga nosso infinito" .

  *****************
Poeta e pajador,
o crioulo das missões,
fazia interpretações
do gaúcho campeador
desde o de fino teor
ao taura da casca grossa:
"Que bárbara a raça nossa,
vejo quando examino,
as origens do teatino
que o chimarrão não adoça"
.
**************
De-a-cavalo na experiência
que lhe forjou a estatura
num manancial de cultura,
interrogando a existência,
E por ter buena consciência,
disse com sinceridade:
"Aprendi na mocidade
algo que ninguém me tira,
que não há meia mentira,
tampouco meia veredade.
 
***********
Por isso tem a certeza
que nada é ultrapassado,
porque tudo está ligado
nas teias da natureza.
Nos explica com certeza
a força da auto-estima:
"Há uma lei que vem de cima
na estrada do tapejara:
- o tempo que nos separa
é o que mais nos aproxima."
 
***********
Eu conheci este cantor
escreve Mozart Pereira
quando abre-lhe a pórteira
do potreiro pro leitor
também guardo este "honor";
igualmente o conheci.
E com ele eu aprendi
o que o mundo saberá:
"Por longe que o homem vá
nunca fugirá de si"
.
************
Há homens que nascem vento
passam - passam, ninguém nota
mas os de bombacha e bota
são feitos de sentimento.
Por orgulho ao seu talento
na pajada e na cantiga
sempre ouço voz amiga
a alardear com louvor:
"Que conheceu um cantor
daqueles da marca antiga."
++++++++++++++++++++++++

ABAIXO, TEXTO SOBRE JARI TERRES DISPONÍVEL EM
https://linhacampeira.wordpress.com/2010/12/, ACESSO EM 24 DE JANEIRO DE 2015:


"Sobre Jari Terres

Jari Terres é natural de Pelotas-RS e foi criado nas estâncias da fronteira sul onde trabalhou e formou seu caráter campeiro, de onde brotam argumentos para suas composições.
Iniciou sua carreira musical no ano de 1982, com 17 anos integrando o Grupo Musical Querência, de sua cidade natal, onde atuou por 10 anos como guitarrista, vocalista e gaita ponto. Deixou três LP´s gravados com este grupo dos quais destacaram-se vários sucessos como Merceditas, De fogões e inverneiras e El cosechero.
Em 1993 partiu para sua carreira solo gravando seu primeiro vinil intitulado “Fronteiras e missões”, abordando a temática fronteiriça e missioneira deixada pelos mestres Noel Guarany, Jaime Caetano Braun, Cenair Maicá e Pedro Ortaça, manancial este de poetas que inspiraram e incentivaram divesrsas gerações.
Após lançar seu primeiro vinil, Jari Terres firmou sua carreira nos palcos dos festivais do sul, impondo seu estilo próprio de cantar e compor notando-se a acentuada característica pampeana influenciada pela sua intimidade com os países do Prata deixando-a transparecer nos ritmos e melodias de suas composições.
A carreira de Jari Terres é marcada por vitórias em vários e importantes festivais do sul e foi também considerado melhor intérprete em tantos outros. Respeitado no meio musical por seus colegas músicos, poetas e intérpretes, recebeu muitos convites para gravar e interpretar canções em outros discos lançados por inúmeros artistas, entre eles: Alex Silveira, João Fontoura, Luis Marenco, Gujo Teixeira, Xiru Antunes e Cristiano Quevedo. Nos palcos dos festivais vários sucessos alcançaram a notoriedade de seu público e são executados até hoje nos meios de comunicação do segmento nativista. Tais como: Sonhos e mágoas, Quando o verso vem pras casa, Alma de ferro, Batendo água, Alma de estância e querência, Contraponto, No compasso do meu mundo, Décima do pelego atado, Onde andará e Nostalgia de um peão de campo.
A parceria com Luiz Marenco rendeu grande repercussão no estado e fora dele. Ao todo foram mais de 50 obras gravadas ao lado de Luis Marenco com uma técnica de dueto que inspirou tantos outros artistas a resgatarem este estilo de cantar tão tradicional de nosso estado que já estava um pouco esquecido.
Fonte: Novo site do cantor. www.jariterres.com.br

NESTA QUINTA-FEIRA, PELA NATIVA FM, UM TEXTO DE ERON VAZ MATTOS SOBRE O RÁDIO!!!




NESTA QUINTA-FEIRA, PELA NATIVA FM, UM TEXTO DE ERON VAZ MATTOS SOBRE O RÁDIO!!!
*********************************************************************************************************************************************************


"CANTA A TUA ALDEIA E SERÁS UNIVERSAL."

(Léon Tolstoi, escritor russo, 1828-1910)



                 ***************** 
OUÇA O PROGRAMA “CANTO DOS LIVRES”, de segunda-feira à sexta-feira, das 05h às 07h30min.




Sintonize no seu rádio a NATIVA FM – FM 93.9.
                 *********

Na internet: www.nativafmpiratini.com.

                 **********
Participe da página da RÁDIO no Facebook:
https://www.facebook.com/nativafm
                *************
Participe da página do PROGRAMA no Facebook:
 https://www.facebook.com/pages/CANTO-DOS-Livres/843824719015240

                                 *****
PRODUÇÃO E APRESENTAÇÃO AO VIVO DE JUAREZ MACHADO DE FARIAS.
                         ******************** 
                            


Nesta QUINTA-FEIRA, 29 de JANEIRO de 2015, além de música, poesia, roncos de mate e vozes de aves nativas, teremos as seguintes atrações:


1)    homenagem ao município de VERA CRUZ,  criado em 30/01/1959, por força da Lei Estadual nº 3.697 de mesma data;

2) o texto "O RÁDIO" de ERON VAZ MATTOS, extraído da obra do próprio autor, "AQUI - Memorial Em Olhos D'Água" (Bagé: Edição do Autor, 2003, p. 138 a 140);

3)   trecho do poema "DICIONÁRIO CRIOULO" de JAYME CAETANO BRAUN, extraído da obra do próprio autor, "DE FOGÃO EM FOGÃO - Versos Gauchescos" (Porto Alegre: Nossa Senhora Medianeira, 1958, p. 141 e seguintes); 

4)    trecho do causo "O MENSAGEIRO RURAL" de ANTONIO AUGUSTO FAGUNDES, extraído da obra do próprio autor, "OS MELHORES CAUSOS DE GALPÃO" (Porto Alegre: Martins Livreiro-Editor, 2001, p. 64 e 65).



*******A IMAGEM QUE ILUSTRA ESTA POSTAGEM ESTÁ DISPONÍVEL EM http://brasileiros.com.br/2012/09/radio-o-aparelho-que-revolucionou-o-mundo/, ACESSO EM 24 DE JANEIRO DE 2015, E REGISTRA UM APARELHO ANTIGO DE RÁDIO.

                      ************

    Eis um trecho do poema "DICIONÁRIO CRIOULO" de JAYME CAETANO BRAUN, disponível em , acesso em 24 de janeiro de 2015:


"CUSCO é cachorro campeiro
No Dicionário do pago,
O GAUDÉRIO é o índio vago
Que vai cruzando a existência...
A CHINA é a flor da inocência,
Feita por Nosso Senhor,
Para, com graça e amor,
Ser dona desta querência!

O POTRO - é o cavalo xucro
Que deixou de ser POTRILHO,
Depois de levar lombilho,
Já se chama REDOMÃO;
                    MATE-AMARGO e CHIMARRÃO

É o chá de bomba e porongo
Que se chupa em trago longo
Desde o berço à extrema-unção!

O PONCHO é um pano redondo
Com abertura no meio;
É a barraca sem esteio
Que o guasca leva aonde vai.
Traste mais útil não “hai”
Se estia não atrapalha
É o cobertor e mortalha
Do gaúcho quando cai!

O PALA é um poncho com franjas
De seda, alpaca e algodão,
Não há piá no meu rincão
Que não lhe faça um esboço! 
Tem um furo pro pescoço
                                 E dá quase no garrão...

O BICHARÁ, feito à mão,
É um pala de lã bem grosso.

TIRADOR - é um avental
De capivara ou de pardo,
Todo franjado, é um resguardo
Inteiriço e sem costura
Que nos livra a queimadura
Do laço quando golpeia,
Tem índio até que passeia
Com ele atado à cintura!

O LAÇO - é a corda trançada
De ILHAPA, ARGOLA e PRESILHA;
Cada volta é uma RODILHA
Que se desmancha em ARMADA;
E depois de arreboleada,
Dando uma volta no braço,
Se faz o TIRO DE LAÇO
                                 Na rês, correndo ou parada!
(...) "

NESTA QUARTA-FEIRA, HOMENAGEM À MEMÓRIA DE RAMIRO BARCELOS!!!

                     
NESTA QUARTA-FEIRA, PELA NATIVA FM, HOMENAGEM À MEMÓRIA DE RAMIRO BARCELOS!!!
*********************************************************************************************************************************************************


"CANTA A TUA ALDEIA E SERÁS UNIVERSAL."

(Léon Tolstoi, escritor russo, 1828-1910)



                 ***************** 
OUÇA O PROGRAMA “CANTO DOS LIVRES”, de segunda-feira à sexta-feira, das 05h às 07h30min.




Sintonize no seu rádio a NATIVA FM – FM 93.9.

Na internet: www.nativafmpiratini.com.

Participe da página da RÁDIO no Facebook:
https://www.facebook.com/nativafmpiratini?fref=ts

Participe da página do PROGRAMA no Facebook:
 https://www.facebook.com/pages/CANTO-DOS-Livres/843824719015240
PRODUÇÃO E APRESENTAÇÃO AO VIVO DE JUAREZ MACHADO DE FARIAS.
                         ******************** 
                            


Nesta QUARTA-FEIRA, 28 de JANEIRO de 2015, além de música, poesia, roncos de mate e vozes de aves nativas, teremos as seguintes atrações:


1)    homenagem ao município de GIRUÁ,  criado em 28/01/1955, por força da Lei Estadual nº 2.601 de mesma data;

2) HOMENAGEM À MEMÓRIA DO POLÍTICO E ESCRITOR RAMIRO BARCELOS, falecido em 28 de janeiro de 1916;

3)   trecho do poema "ANTONIO CHIMANGO" de RAMIRO BARCELOS (Terceira Ronda), extraído da obra de mesmo nome (Porto Alegre: Martins Livreiro, 1998, 25ª edição, p. 31 e seguinets); 

4)    o causo inédito "O BORRACHO E A PORCA" escrito e adaptado por JUAREZ MACHADO DE FARIAS a partir de relato de EUTHIAS ALVES DUARTE, avô de nossa colega de Rádio Nativa FM, a ilustre jornalista JOSEANE REIS DUARTE.



*******A IMAGEM (ACIMA) QUE ILUSTRA ESTA POSTAGEM ESTÁ DISPONÍVEL EM http://www.museucachoeira.com.br/index.php?area=municipio&id=9, ACESSO EM 24 DE JANEIRO DE 2015, E REGISTRA O POLÍTICO E ESCRITOR RAMIRO BARCELOS.
*********A IMAGEM (ABAIXO) QUE ILUSTRA ESTA POSTAGEM ESTÁ DISPONÍVEL EM http://www.projetopassofundo.com.br/principal.php?modulo=texto&con_codigo=18236&tipo=texto, ACESSO EM 24 DE JANEIRO DE  2015, E REGISTRA A CAPA DASEGUNDA EDIÇÃO DA OBRA ANTONIO CHIMANGO, EM 1915.

            **************** 
Eis um trecho da Terceira Ronda de
"ANTÔNIO CHIMANGO"
Poemeto Campestre

2ª. Ed.
Prefácio de Augusto Meyer
Porto Alegre: Editora Globo, 1957
(Coleção Província, vol. 5), disponível em http://www.antoniomiranda.com.br/poesia_brasis/rio_grade_sul/ramiro_barcellos.html, acesso em 24 de janeiro de 2015.
 

65

Do meio-dia pra tarde
Se foi o tempo arruinando.
Soprava de quando em quando
Um vento quente do norte.
Assim é que muda a sorte
De um pobre que anda tropeando.

                  66

Dia quente, de mormaço.
A gente vinha abombada:                           
 Custou-se a achar uma aguada
Onde o boi bebesse a gosto,
E era já quase sol posto,
Não se tinha andado nada.

                  67

Lá pras bandas do poente
Formou-se uma barra escura;
A felicidade não dura
E é china que não se roga;                         
Não há maneia nem soga
Que a possa manter segura.

                   68

Se ouvia ao longe um ruído
Como de couro arrastando,
Ou de uma roda passando
No tablado de uma ponte;
E se aproximava um monte
De nuvens negras rolando.

                   69
O temporal era certo.
Quem isto sabe não erra.
Um cheirinho assim de terra,
Que vem de lá não sei donde
Avisa que não se ronde,
Mas que se busque uma encerra.

NESTA TERÇA-FEIRA, PELA NATIVA FM, HOMENAGEM AO ANIVERSARIANTE DO DIA: O MÚSICO E COMPOSITOR FRUTUOSO ARAÚJO!!!




NESTA TERÇA-FEIRA, PELA NATIVA FM, HOMENAGEM AO ANIVERSARIANTE DO DIA: O MÚSICO E COMPOSITOR FRUTUOSO ARAÚJO!!!

*********************************************************************************************************************************************************



"CANTA A TUA ALDEIA E SERÁS UNIVERSAL."

(Léon Tolstoi, escritor russo, 1828-1910)



                 ***************** 
OUÇA O PROGRAMA “CANTO DOS LIVRES”, de segunda-feira à sexta-feira, das 05h às 07h30min.



Sintonize no seu rádio a NATIVA FM – FM 93.9.

Na internet: www.nativafmpiratini.com.

Participe da página da RÁDIO no Facebook:
https://www.facebook.com/nativafmpiratini?fref=ts

Participe da página do PROGRAMA no Facebook:
 https://www.facebook.com/pages/CANTO-DOS-Livres/843824719015240
PRODUÇÃO E APRESENTAÇÃO AO VIVO DE JUAREZ MACHADO DE FARIAS.


Nesta TERÇA-FEIRA, 27 de JANEIRO de 2015, além de música, poesia, roncos de mate e vozes de aves nativas, teremos as seguintes atrações:


1)    homenagem ao município de BALNEÁRIO PINHAL, criado em 28/12/1995, por força da Lei Estadual nº 10.670 de mesma data;

2) HOMENAGEM AO ANIVERSARIANTE DO DIA: O MÚSICO E COMPOSITOR FRUTUOSO ARAÚJO, nascido em BOM JESUS, em 27 de janeiro de 1948;

3)   o poema "BANDEIRA DE PAZ" de FRUTUOSO ARAÚJO, musicado e interpretado por JOCA MARTINS e que compõe o disco da 5ª VERTENTE DA CANÇÃO NATIVA de PIRATINI, RS; 

4)    o causo inédito "O GALO E O CANTOR" escrito e adaptado por JUAREZ MACHADO DE FARIAS a partir de relato de ROLANDO BOLDRIN em seu programa televisivo "SR. BRASIL" pela TV CULTURA (São Paulo);
5) homenagem à memória do PADRE REINALDO WIEST, falecido em 27 de janeiro de 1967, segundo a obra "HISTÓRIA E MEMÓRIA DE PIRATINI - Em Seus Bairros, Ruas, Praças e Avenidas" da PROFESSORA IRACEMA FERREIRA DUTRA (Porto Alegre: Pallotti, 2008, p. 44 a 52);
6) alusão  à data de 27 de janeiro de 1960 quando morreu o grande estadista e diplomata gaúcho OSWALDO ARANHA, segundo a referida obra da Professora IRACEMA FERREIRA DUTRA (p. 86 a 88).



*******A IMAGEM (ACIMA) QUE ILUSTRA ESTA POSTAGEM ESTÁ DISPONÍVEL EM https://www.facebook.com/photo.php?fbid=419659468169347&set=t.100003732502791&type=3&theater, ACESSO EM 24 DE JANEIRO DE 2015, E REGISTRA O HOMENAGEADO FRUTUOSO ARAÚJO, QUANDO MENINO.
*********A IMAGEM (ABAIXO) QUE ILUSTRA ESTA POSTAGEM ESTÁ DISPONÍVEL EM https://www.facebook.com/photo.php?fbid=396710377133734&set=t.100003732502791&type=3&theater, ACESSO EM 24 DE JANEIRO DE  2015, E REGISTRA O ACORDEONISTA LUCÍDIO BANDEIRA DOURADO (À ESQUERDA) E FRUTUOSO ARAÚJO (À DIREITA) NUM DUO DE ACORDEON.

            ****************
Eis o poema em destaque:

"BANDEIRA DE PAZ
(Autor: FRUTUOSO ARAÚJO)

          **********
Sobre os ombros, um velho poncho
aquecendo o interior,
o gaudério segue a passo
pois a vida já passou.
********************
Foi um taura destemido
em revoluções sem par.
Sem saber qual o motivo,
buscava verdade e paz.
*****************
Ora, vejam, um homem velho,
um gaúcho a estampa faz.
O taura carrega o poncho,
o poncho carrega a paz.
*******************
A experiência da vida
dos oitenta que passou,
nunca se desfez da história
que seu poncho abrigou.
*******************
Poncho, ora saudade
feito bandeira de paz,
abrigo, alento e amigo
ou o Rio Grande no más!"