sexta-feira, 17 de outubro de 2014

NESTA TERÇA-FEIRA, PELA NATIVA FM, CONHEÇA UM POUCO DA INDUMENTÁRIA DO GAÚCHO!!!



NESTA TERÇA-FEIRA, ACOMPANHE PELA NATIVA FM O DESTAQUE À INDUMENTÁRIA GAÚCHA!!!

***************************************************************************************************************************************************************************************************************************************
"CANTA A TUA ALDEIA E SERÁS UNIVERSAL."
(Léon Tolstoi, escritor russo, 1828-1910)

*****************

OUÇA O PROGRAMA “CANTO DOS LIVRES”, de segunda-feira à sexta-feira, das 05h às 07h enquanto perdurar a propaganda política gratuita pelo rádio até a eleição de 2º turno.

Sintonize no seu rádio a NATIVA FM – FM 93.9.
Na internet: www.nativafmpiratini.com.

Participe da página da RÁDIO no Facebook:

https://www.facebook.com/nativafmpiratini?fref=ts

PRODUÇÃO E APRESENTAÇÃO AO VIVO DE JUAREZ MACHADO DE FARIAS.

Nesta TERÇA-FEIRA, 21 de OUTUBRO de 2014, além de música, poesia, roncos de mate e vozes de aves nativas, teremos as seguintes atrações:

1) homenagem ao município de CAIÇARA, criado em 19 de outubro de 1965;

2) o texto “INDUMENTÁRIA DO GAÚCHO ATUAL” de SALVADOR FERRANDO LAMBERTY, extraído da obra do próprio autor, “ABC DO TRADICIONALISMO GAÚCHO” (Porto Alegre: Martins Livreiro-Editor, 1989, 2ª edição, p. 100 a 102);

3) o causo “FANDANGO APERTADO”  de SEJANES DORNELLES, extraído da obra do próprio autor, “CAUSOS DA QUERÊNCIA – Literatura Oral” (Caxias do Sul: Editora da Universidade de Caxias do Sul, 1988, 3ª edição, p. 123 a 127);

4) o poema “PILCHAS” de LUIZ CORONEL, extraído da obra do próprio autor, intitulada “LUNAREJO – Antologia Poética Regional” (Porto Alegre: Tchê!, 1987, p. 25).

*********************************************************************************************************************************************************
*A FOTOGRAFIA QUE ILUSTRA ESTA POSTAGEM REGISTRA UM CASAL GAÚCHO (disponível em http://ctgosbirivas.no.comunidades.net/index.php?pagina=1657854789, acesso em 17 de outubro de 2014).
*********************************************************************************************************************************************************

Eis o poema em destaque:


"PILCHAS
(Autor: LUIZ CORONEL)


Não pensem que são pirilampos
Essas estrelas lá fora.
É a lua clara dos campos
Refletida nas esporas.

Se uso vincha na testa,
É pra ver o mundo mais claro.
Não vendo o mundo por frestas,
Lhe posso fazer reparos.

Sem cinturão nem guaiaca,
Me sinto quase que em pelo.
Quando meu laço desata,
Sou carretel de novelo.

Da bodega levo um trago
Para matar a minha sede.
Meu chapéu de aba quebrada
Beija santo de parede.

Atirei as boleadeiras
Contra a noite que surgia.
Noite adentro entre as estrelas
Se tornaram três-marias.”


quarta-feira, 15 de outubro de 2014

NESTA SEXTA-FEIRA, OUÇA PELA NATIVA FM A HOMENAGEM AO MÚSICO E COMPOSITOR AIRTON PIMENTEL!!!


NESTA SEXTA-FEIRA, OUÇA PELA NATIVA FM A HOMENAGEM AO ANIVERSARIANTE DO DIA 17 DE OUTUBRO: O MÚSICO E COMPOSITOR AIRTON PIMENTEL!!!


******************************************************************************************************************************************************************

"CANTA A TUA ALDEIA E SERÁS UNIVERSAL."

(Léon Tolstoi, escritor russo, 1828-1910)


                                               *****************


OUÇA O PROGRAMA “CANTO DOS LIVRES”, de segunda-feira à sexta-feira, das 05h às 07h devido ao fim da propaganda política gratuita pelo rádio até a eleição de 2º turno.


Sintonize no seu rádio a NATIVA FM – FM 93.9.

Na internet: www.nativafmpiratini.com.

                                          

Participe da página da RÁDIO no Facebook:


https://www.facebook.com/nativafmpiratini?fref=ts



PRODUÇÃO E APRESENTAÇÃO AO VIVO: JUAREZ MACHADO DE FARIAS.


    Nesta SEXTA-FEIRA, 17 de OUTUBRO de 2014, além de música, poesia, roncos de mate e vozes de aves nativas, teremos as seguintes atrações:


1)                    homenagem ao município de SALVADOR DO SUL, criado em 09 de outubro de 1963:



2)                    homenagem ao aniversariante do dia, MÚSICO E COMPOSITOR AIRTON PIMENTEL, nascido em 17 de outubro de 1938, segundo biografia extraída da obra "SOM DO SUL - A História da Música do Rio Grande do Sul no Século XX" de HENRIQUE MANN (Porto Alegre: Tchê!, 2002, p. 73 a 75);


3)                    o causo inédito “O GAÚCHO NA BARBEARIA” escrito e adaptado por JUAREZ MACHADO DE FARIAS a partir de relato do piratiniense ADI ESPÍNDOLA;


4)                    o poema "LENDA DO UMBU" de AIRTON PIMENTEL, extraído da obra "COLETÂNEA DA POESIA GAÚCHA" (Porto Alegre: Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul/CORAG, 2005, p. 28).


*A imagem que ilustra esta postagem registra o ARTISTA AIRTON PIMENTEL (DISPONÍVEL EM www.google.com.br, ACESSO EM 16 DE OUTUBRO DE 2013).

Eis o poema em destaque:

"A LENDA DO UMBU
(AIRTON PIMENTEL)

Quando Deus fez este mundo
Cada árvore falou,
E todas fizeram pedidos
Para o Nosso Senhor
Laranjeira pediu flores
Grinaldas brancas de pureza
O jacarandá mimoso
Quis lilás sua beleza
E a figueira das matas
Quis ter fruto saboroso
Pra saciar os passarinhos
Com manjar tão delicioso
Quando Deus fez este mundo
Fez o bem-me-quer dos campos,
Bibis roxos e amarelos,
Pitangas, guabirobas, araçás.

Louro, angico e guajuvira
Pediram carne de lei;
E foram pedindo, pedindo,
Exceto uma que eu sei:
Que fez seu pedido à parte...
Assim, todas elas, todas...
Uma a uma foram ouvidas
E atendidas com louvor

Porém o umbu dos pampas
Pediu um poncho de folhagens
Pra acolher os peregrinos
Abombados de viagens

Contritado! Pôs ressalvas:
- Não queria ser madeira
Suplicou lenho ordinário
Que ao secar virasse poeira;
Que não prestasse pra lenha;
Que não prestasse pra tábua;
Que não prestasse pra fogo;
Que ao morrer virasse água;
Que não servisse de cruz
Para um justo de amor,
Nem de caixão pra mortalha
Derradeira de um cantor
Por isso nas soledades
Dos horizontes sem fim
Sagrou-se a silhueta
Do umbu lá dos confins."

NESTA QUINTA-FEIRA, OUÇA PELA NATIVA FM O CANTO E A DESCRIÇÃO DO BEM-TE-VI!!!





NESTA QUINTA-FEIRA, OUÇA PELA NATIVA FM O CANTO E A DESCRIÇÃO DO BEM-TE-VI!!!





******************************************************************************************************************************************************************

"CANTA A TUA ALDEIA E SERÁS UNIVERSAL."

(Léon Tolstoi, escritor russo, 1828-1910)



                                               *****************



OUÇA O PROGRAMA “CANTO DOS LIVRES”, de segunda-feira à sexta-feira, das 05h às 07h devido ao fim da propaganda política gratuita pelo rádio até a eleição de 2º turno.



Sintonize no seu rádio a NATIVA FM – FM 93.9.

Na internet: www.nativafmpiratini.com.

                                          

Participe da página da RÁDIO no Facebook:



https://www.facebook.com/nativafmpiratini?fref=ts





PRODUÇÃO E APRESENTAÇÃO AO VIVO: JUAREZ MACHADO DE FARIAS.



    Nesta QUINTA-FEIRA, 16 de OUTUBRO de 2014, além de música, poesia, roncos de mate e vozes de aves nativas, teremos as seguintes atrações:



1)                    homenagem ao município de CATUÍPE, criado em 16 de outubro de 1961;



2)                    a descrição do BEM-TE-VI segundo a obra “AS AVES NO FOLCLORE DO RIO GRANDE DO SUL” de ROBERTO GONÇALVES DE OLIVEIRA (Porto Alegre: Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul/ Editora e Distribuidora Gaúcha, p. 225 a 226);



3)                    o causo “A GINETEADA DA VOVÓ” de SEJANES DORNELLES, extraído da obra do próprio autor, “CAUSOS DA QUERÊNCIA – Literatura Oral” (Caxias do Sul: Editora da Universidade de Caxias do Sul, 1988, 3ª edição, p. 27 a 30);



4)                    o poema "TALVEZ" de COLMAR PEREIRA DUARTE, extraído da obra do próprio autor, "SESMARIA DOS VENTOS" (Porto Alegre: Movimento, 1979, p. 41 a 42).









*A imagem que ilustra esta postagem registra o BEM-TE-VI está disponível em http://dirceufariasfirmino.blogspot.com.br/2014/07/sabedoria-do-bem-te-vi.html, acesso em 14 de outubro de 2014).





Eis o poema em destaque:

"TALVEZ
(Autor: COLMAR PEREIRA DUARTE)

Não importa se gostas do meu canto,
se me escutas me dou por satisfeito.
As calhandras que trago no meu peito
não nasceram pra andar como caturras,
repetindo nomais, se lhes ensinam.
Falam a voz do pago quando trinam
e voam livres... mesmo contra os ventos.


Cresci a enraizar meus sentimentos

nesta terra de glórias e legendas.

Pulsa no meu sangue o malho das contendas

que moldou nossa raça nas coxilhas.

Vibram em mim, violas andarilhas

egressas dos fogões de acampamentos,

trago nos olhos, luz de encantamentos,

de enterros, boitatás e salamancas.


 Não importa se entendes o que eu canto,
se me escutas me dou por satisfeito.


Sinto que anda dormindo no teu peito

o atavismo da raça de que és cria,

pois nesta decantada rebeldia 
de jovem, que esse tempo altivo fez,

talvez exista muito mais da altivez

dos Sepés que morreram por ser livres

defendendo esta terra onde tu vives

da sede de conquista de outras gentes;
nessa estampa de barbas e melenas,
a desafiar as convenções vigentes, 
talvez, o inconformismo dos valentes

que, de barba e melenas,

com um ideal na mente e a roupa em trapos,

pelearam e morreram como bravos,

para que aqui, jamais fossem escravos

os que nasceram de ancestrais farrapos.

 E a roupa colorida e a fantasia
talvez retratem com fidelidade

toda a pureza e toda a ingenuidade
de alma, que o Charrua possuía.



Se canto diferente, meu amigo,
tenho certeza, nos entenderemos,

pois são parceiras as razões que temos

e um só pensamento nos anima.

Paz e amor... e um sonho de igualdade!

Cantar, amar, viver... em liberdade.



A minha alma é tão igual a tua:

tem rebeldias do Sepé mais guapo,

o inconformismo altivo do farrapo
e a ingênua pureza do Charrua.